...
“Nada de imitar seja lá quem for. Temos de ser nós mesmos. Ser núcleo de cometa, não cauda. Puxar fila, não seguir.”
me · · bye ·
Aprenda a amar sem esperar muito dos outros.
Augusto Cury.   (via antipoetico)
Hoje lembrei de você, talvez por ter olhado para o céu e ter visto as estrelas, não por serem parecidas com o brilho do seu olhar, e sim por estarem tão distantes de mim.
Desconhecido.  (via desembarcou)
Talvez eu saiba, em algum lugar no fundo da minha alma, que o amor nunca dura. E temos que arranjar outros meios de seguir em frente sozinhos com uma cara boa. E eu sempre vivi assim, mantendo uma distância confortável. Até agora, eu tinha jurado a mim mesma que eu estava contente com a solidão, porque nada disso algum dia valeu o risco, mas você é a única exceção.
The Only Exception.   (via auroriar)
Mas eu gosto dele. Na verdade, o amo.
Lana Del Rey  (via auroriar)
Dizem que a gente tem o que precisa. Não o que a gente quer. Tudo bem. Eu não preciso de muito. Eu não quero muito. Eu quero mais. Mais paz. Mais saúde.Mais dinheiro. Mais poesia. Mais verdade. Mais harmonia. Mais noites bem dormidas. Mais noites em claro. Mais eu. Mais você. Mais sorrisos, beijos e aquela rima grudada na boca. Eu quero nós. Mais nós. Grudados. Enrolados. Amarrados. Jogados no tapete da sala. Nós que não atam nem desatam. Eu quero pouco e quero mais. Quero você. Quero eu. Quero domingos de manhã. Quero cama desarrumada, lençol, café e travesseiro. Quero seu beijo. Quero seu cheiro. Quero aquele olhar que não cansa, o desejo que escorre pela boca e o minuto no segundo seguinte: nada é muito quando é demais.
Caio Fernando Abreu. (via auroriar)
Eu era um palerma. Ela era apaixonante. Eu era irremediavelmente sem graça. Ela era infinitamente fascinante. Então voltei para o meu quarto e desabei no beliche de baixo, pensando que, se as pessoas fossem chuva, eu seria garoa e ela, um furacão.
Quem é você, Alasca?    (via palavrizou)